Tech recruiter é carreira em alta no RH: saiba como se destacar nessa área

Especialistas em recrutamento de tecnologia trazem o passo a passo para conduzir processos seletivos de sucesso na área de TI
Por Elisa Tozzi Atualizado em 19 jun 2021, 08h48 – Publicado em 19 jun 2021, 08h50

Uma das carreiras mais demandadas em RH no momento é a de recrutador especializado em posições de tecnologia – o famoso tech recruiter. Não é sem razão. Nos últimos anos, o setor de TI já se posicionava como um dos que mais demandavam profissionais e isso só aumentou durante a pandemia, que obrigou as empresas a acelerar seus projetos de transformação digital.

Uma projeção da Associação das Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) afirma que a área de tecnologia terá que recrutar aproximadamente 420.000 profissionais nos próximos três anos – mas o Brasil só forma 46.000 pessoas por ano.

Com muita vaga e pouca mão de obra, os recrutadores e as empresas precisam, conseguir atrair – e manter – os profissionais certos. Mas como fazer isso e se destacar como um tech recruiter? É o que Christina Curcio e Janaina Lima, fundadoras da consultoria Icon Talent, especializada em recrutamento de tecnologia, explicam a seguir.

1. Entender a cultura

Compreender o alinhamento dos valores da empresa e do candidato é imprescindível para o recrutador, pois não são todos os candidatos que conseguem entender o clima, a visão e os valores da empresa e atuar em ambientes diversos. Compreender os projetos da empresa, o engajamento da área de TI com a estratégica da marca, seus produtos, serviços, cultura organizacional e desafios dos projetos é uma forma de verificar que tipo de profissional o recrutador deve buscar.

2. Cuidado com os testes

Dados da Icon Talent mostram que 73% dos candidatos entrevistados em níveis pleno e sênior que já realizam processos seletivos com testes, não receberam retorno e perderam tempo com avaliações longas ou complexas. A maioria não deseja mais fazer testes e sugere uma conversa técnica com especialistas, apresentação de portfólio de projetos ou contato com referências de outras empresas. Se o teste for inevitável para a empresa, não deixe que a duração ultrapasse duas horas. Isso é importante porque, normalmente, os candidatos de TI são multitarefas, equilibrando trabalho freelancer com cursos, o que os deixa sem muito tempo para testes longos.

3. Mapeie a área do projeto

O recrutador precisa compreender qual é o projeto no qual o candidato vai trabalhar e em que área ele atuará. Isso é importante porque todos os setores de negócios solicitam profissionais de TI (alocados ou não) em seus departamento. Para entender a vaga, pergunte: o projeto é nacional ou internacional? Com quais times o colaborador irá interagir? Qual a metodologia de trabalho adotada pela empresa? Ao responder essas perguntas ficará mais simples entender se é preciso exigir fluência em outro idioma e experiência em projetos internacionais por exemplo.

4. Defina bem o perfil da vaga

Essa etapa definirá o sucesso do processo seletivo. Quando se fala de aspectos técnicos, cabe ao recrutador investigar com cuidado o nível de experiência ou conhecimento do entrevistado – pois há diferenças. Experiência denota vivência e a prática do profissional com projetos que envolvem os requisitos técnicos pedidos. O conhecimento pode ser acadêmico, de estudos pessoais, algo mais superficial. Dependendo da senioridade do profissional e do desafio do projeto, o requisito será determinado pela experiência ou pelo conhecimento.

Há vagas, por exemplo, que exigem certificação. Essa chancela de conhecimento é pedida principalmente em posições de maior senioridade ou exposição, como no caso de atividades relacionadas à segurança da informação, ou no gerenciamento de projeto.

Outros pontos importantes a serem considerados no desenho do perfil ainda são: idiomas, modelo de contratação, modelo de trabalho, benefícios, remuneração e título da vaga.

5. Fique atento às habilidades comportamentais

As competências comportamentais também devem ser questionadas, pois além de determinarem o perfil comportamental, definem o nível de adesão do profissional à cultura da empresa. Algumas das mais procuradas n os profissionais de TI são: trabalho em equipe, criatividade, comunicação, flexibilidade, adaptabilidade, senso de dono, inteligência emocional, autonomia, dinamismo, resiliência, solução de problemas, senso crítico e liderança.

6. Seja claro e detalhista durante a entrevista

Ao iniciar a entrevista é importante detalhar com transparência e clareza os aspectos sobre a empresa, os requisitos da vaga e quanto tempo durará o processo seletivo. O recrutador deve abordar o entrevistado com relação às tecnologias e metodologias com as quais está habituado a trabalhar, projetos de que participou, qual foi o seu papel nestes projetos e, principalmente, qual o tempo de experiência que possui em cada um dos requisitos técnicos da vaga.

Além das habilidades técnicas, é preciso avaliar as motivações, expectativas, propósitos e momento de carreira do profissional, aprofundando-se nos aspectos comportamentais para compor um mapeamento completo. Caso necessário, esse mapeamento poderá ser confirmado através de testes técnicos e de perfil comportamental. A sugestão é que a etapa de testes não supere o total de dois dias, para aumentar o engajamento do candidato.

Fonte: https://vocerh.abril.com.br/mercado-vagas/tech-recruiter-carreira-rh/

Mais Icon News!

A Icon Talent utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “OK” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.

× Como posso te ajudar?